A rigidez Germânica!

Ui ui ui… Que é tão duro o pau que nos bate nas costas mal aterramos na terra de sua senhoria e rainha senhora dona Angela. Por muito ou tanto que não se queira aquilo mexe com o nosso ser, com a nossa motivação mas sobretudo com os nossos medos. Relembro as histórias macabras de meninos do antigamente que eram esbofeteados por professorinhas recheadas de problemas de raiva… Eu senti-me o menino, medroso, com o pânico de aumentar o tom de voz, de falar fora da minha vez ou sujar o chão com migalhas. Senti-me um soldadinho de chumbo, um bonequinho de lego num mundo arrumado e organizado à força da regra fria que os dividiu e unificou.

Deixe uma resposta